CONSELHO EDITORIAL
Ler un livro como criação original supõe ir até o outro,
recorrer ao outro e, por conseguinte, sair de si mesmo.

Robert Escarpit

Álvaro Faleiros
Professor livre-docente de literatura francesa na Universidade de São Paulo (USP) e especialista em tradução poética, tendo publicado, entre outros, Traduzir o poema (Ateliê, 2012). Traduziu também obras de poeta franceses como Guillaume Apollinaire e Mallarmé.

Ana Gruszynski
Jornalista, designer e ilustradora. Professora associada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atua junto ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação e nos cursos de jornalismo, publicidade e relações públicas da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (FABICO). Pesquisadora do CNPq, é líder do Grupo de Pesquisa Laboratório de Edição, Cultura & Design (LEAD - UFRGS/CNPq). Graduada em Jornalismo Gráfico e Audiovisual pela UFRGS, mestra e doutora em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), é autora de Poesia Visual (Global, 2001), A Imagem da palavra: Retórica tipográfica na pós-modernidade (Novas Idéias, 2007), Design gráfico do invisível ao ilegível (Rosari, 2008).

Antonio Sanseverino
Professor associado de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), professor do Programa de Pós-Graduação em Letras, pesquisador do CNPq. É mestre (1994) em Letras pela UFRGS com a dissertação A dupla centralidade na poesia de Gregório de Matos, e doutor (1998) em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), com a tese Realismo e Alegoria em Machado de Assis. Membro do GT-Teoria do Texto Poético da ANPOLL. Dedica-se à pesquisa nas áreas da poesia moderna brasileira; Machado de Assis, ironia, alegoria e sociedade; literatura e ensino.

Cristina Antunes
Responsável, durante 32 anos, pelo acervo da Biblioteca José Mindlin, desde 2013 é curadora da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin na Universidade de São Paulo. Graduada em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), especialista em Ciência da Informação pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) e em Paleografia pelo Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP. É autora de Memórias de uma guardadora de livros (Escritório do Livro, 2004), organizadora do volume Histórias no varal: Três cordéis de romance e aventura (Autêntica, 2014), e assina a transcrição paleográfica e tradução de, entre outros, São Paulo de Edmund Pink (DBA Books, 2000).

Gilka Girardello
Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), com mestrado em Ciências Humanas pela New School for Social Research, Nova York, foi pesquisadora visitante na City University of New York (Fulbright). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), coordena o Núcleo Infância, Comunicação, Cultura e Arte (CNPq/UFSC). É jornalista e contadora de histórias, tendo publicado, entre outros, os livros Baús e Chaves da Narração de Histórias (SESC, 2004) e Uma clareira no bosque: contar histórias na escola (Papirus, 2014), e atuado junto ao Programa Nacional Biblioteca da Escola (MEC).

Gisela Creni
Graduada em Editoração pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), é mestre em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Atua no mercado editorial há mais de 30 anos, a maior parte deles na editora Companhia das Letras, onde integra atualmente o Departamento de Produção. É autora de Editores artesanais brasileiros (Autêntica, 2013).

Isabel Travancas
Professora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na área de Produção Editorial. É jornalista de formação, mestre em Antropologia Social pelo Museu Nacional da UFRJ e doutora em Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É autora dos livros: O mundo dos jornalistas (Summus Editorial, 1993), O livro no jornal (Ateliê Editorial, 2001) e Juventude e televisão (FGV, 2007).

José Afonso Furtado
Professor da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, na Pós-Graduação em Edição - Livros e Novos Suportes Digitais. Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, atuou por muitos anos em organismos governamentais na área da Cultura: foi presidente do Instituto Português do Livro e da Leitura (1987-1991), e diretor da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste de Gulbenkian de 1992 a 2011. É membro da Comissão de Honra do Plano Nacional de Leitura. Entre os muitos títulos publicados em Portugal e no estrangeiro estão O Papel e o Pixel (Escritório do Livro, 2006) e A Edição de Livros e a Gestão Estratégica (Booktailors / Consultores Editoriais, 2009).

Michel Riaudel
Professor do Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros da Universidade de Poitiers, França. Doutor em Literatura Comparada pela Université Paris X, dedica-se à pesquisa nas áreas da literatura brasileira, circulações literárias, questões de intertextualidade, recepção, transferência e tradução. Fundou em Paris (1984) a revista Braise, e na sequência, Infos Brésil, dedicada à cultura brasileira, de que foi o editor responsável até 2006. É autor, entre outros, de France-Brésil, catálogo bibliográfico comentado da presença brasileira na edição em língua francesa (ADPF, 2005) e Caramuru, un héros brésilien entre mythe et histoire (Petra, 2015). É tradutor de Ana Cristina Cesar, Modesto Carone, José Almino, Milton Hatoum, entre outros.

Patricia Odber de Baubeta
Professora honorária do Departamento de Línguas da Universidade de Birmingham, Inglaterra, onde lecionou língua e literatura portuguesa de 1981 a 2015. Com mestrado (1978) e doutorado (1991) em Estudos Hispânicos pela Universidade de Glasgow, suas pesquisas focam mais especificamente a história literária portuguesa, os Estudos da Tradução e as relações culturais anglo-portuguesas. Atuou como consultora em diversos projetos na área de Estudos da Tradução, sendo parecerista junto à Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Portugal) e Peer Reviewer junto ao Arts and Humanities Research Council. Publicou, entre outros livros, Anticlerical Satire in Medieval Portuguese Literature (The Edwin Mellen Press, 1992). Tradutora de autores como Miguel Torga e Agustina Bessa Luís, trabalha atualmente nos Sermões do Padre António Vieira.

Sandra Reimão
Professora livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Escola de Comunicações e Artes (PPGCOM-ECA). Pesquisadora do CNPq. É graduada em Filosofia pela USP, mestre e doutora em Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com estágios pós-doutorais na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS, Paris). Autora, entre outros, de: Mercado Editorial Brasileiro (Com-Arte / Fapesp, 1996), Livros e televisão - correlações (Ateliê, 2004) e Repressão e resistência - censura a livros na ditadura militar (Edusp/ Fapesp, 2011).



A EDITORA | COMO PUBLICAR | PUBLICAÇÕES